Raiz oleosa e pontas secas: saiba as causas e tratamentos.

Raiz oleosa e pontas secas

Grande parte das mulheres brasileiras possui raízes oleosas e pontas secas.
É comum surgirem dúvidas sobre quantas vezes por semana deve-se lavar os cabelos, qual shampoo comprar, se a oleosidade tem alguma relação com a queda dos fios, entre outros. Para entender melhor sobre o assunto, conversamos com a médica Marcela Mattos, dermatologista especializada em Tricologia.

Para quem sofre de distúrbio de oleosidade e pontas secas, qual seria a frequência ideal de lavagens por semana?

A frequência ideal de lavagens para quem tem raiz oleosa e pontas secas é dias alternados. Dessa forma, limpa o couro e não resseca as pontas.

Couro cabeludo extremamente oleoso pode causar a queda dos fios? Por quê?

Sim. Associada ao excesso de oleosidade do couro cabeludo, pode haver mudança na flora de microrganismos locais. Fungos, como a malassezia, alimentam-se de sebo e, portanto, proliferam-se gerando uma supercolonização e produção de peróxido de escaleno, que gera inflamação do couro e queda capilar.

Raiz oleosa e pontas secas

Quais as principais causas do distúrbio de oleosidade?

A oleosidade pode estar aumentada nos casos de hábitos diários errados, como banho com água bastante quente, uso regular de secador quente e uso excessivo de shampoos muito adstringentes, que provocam oleosidade rebote. Também tem impacto o uso de medicações, como hormônios masculinos, corticoides e anticoncepcionais, como DIU Mirena. Dieta muito rica em carboidratos refinados, gordura saturada e leite também são apontados como causa. Além disso, o excesso de oleosidade pode ser um dos sintomas da dermatite seborreica, uma doença inflamatória crônica.

É verdade que a escova progressiva deixa a raiz mais oleosa? Por quê?

Sim. Porque o fio mais liso permite a descida mais fácil da oleosidade do que o fio ondulado, que é mais tortuoso. Outro problema da progressiva é que esse procedimento cria uma película capaz de blindar a superfície do fio ao não permitir a entrada do sebo dentro dele. Pacientes que já possuem dermatite seborreica podem enfrentar piora dos sinais e sintomas, como coceira, queimação, seborreia, descamação e queda capilar. A química irrita o couro já sensibilizado e agrava a inflamação prévia.

O que fazer para controlar a oleosidade do couro cabeludo?

Melhorar hábitos (evitar banho e secador quentes, melhorar a dieta e cortar remédios que exacerbam a produção de sebo) e usar shampoos que controlam a oleosidade e desinflamam o couro cabeludo ajudam nesse processo. Deve-se evitar escovas progressivas com intervalos menores que 5 meses e existem remédios (comprimidos) que reduzem tamanho/função das glândulas sebáceas.

Tenho prescrito bastante o Shampoo Crystal, um shampoo à base de ativos botânicos naturais que cuida dos fios sem danificá-los. Os 3 ativos principais são: óleo de alecrim, que possui propriedades adstringentes (remoção da oleosidade), cicatrizantes (importante para a melhora das dermatites de couro) e antissépticas (controle da flora de microorganismos); óleo de melaleuca australiana (tea tree), que auxilia na redução de irritação, melhora a coceira e acalma o couro cabeludo; e aloe vera, que estimula o crescimento capilar, e auxilia no controle da oleosidade e sintomas associados à irritação do couro pela seborreia.

raiz oleosa e pontas secas

Shampoo Power Crystal Walory 270ml. Compre aqui.


Dr. Marcela Mattos – 
Médica Dermatologista – CRM/MG 49092.

Compartilhar:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *