Como prevenir e combater o surgimento de manchas na pele

prevenir e combater o surgimento de manchas na pele

Atualmente, os procedimentos estéticos estão bastante evoluídos, e os tratamentos podem ser feitos em qualquer época do ano. Ainda assim, muita gente prefere iniciá-los durante o outono ou inverno em função da amenidade da temperatura e de os raios solares não serem tão fortes. Conversamos com o cirurgião plástico Jorge Menezes* para sabermos mais sobre como prevenir e combater o surgimento de manchas na pele.

O que são as manchas de pele e por que elas surgem?

As manchas são alterações da composição anatômica que não desestruturam a arquitetura cutânea, mas provocam uma alteração na sua coloração. Elas têm diversas origens. Na grande maioria, representam uma reação à agressão por fatores externos, como raios solares ultravioletas UVA e UVB, poluição e alterações do clima. Além disso, elas podem ser genéticas, oriundas de alterações hormonais, hábitos de vida, de ambiente e de trabalho, ou, ainda, da desorganização temporária de hormônios durante a gravidez. Eventualmente, ocorrem manchas avermelhadas, conhecidas como rosáceas, caracterizadas por algumas doenças.

Quais os tratamentos? Quando iniciá-los?

O tratamento preventivo é feito em qualquer idade, principalmente com o uso de bloqueadores solares e com o estudo familiar do paciente. A prevenção é interessante por dar uma qualidade de vida para o paciente, inclusive retardando o envelhecimento. O tratamento, quando as manchas já surgiram, conta com opções tanto médicas quanto cosmetológicas e farmacêuticas. Entre os mais eficazes, temos os cremes, o laser e os peelings – hoje chamado de tratamento químico: mais controlado, sem descamação intensa, sem queimaduras e a vermelhidão que impedia um convívio social do paciente enquanto durava o tratamento. Existem, ainda, outros tratamentos à base de hidratação, com aparelhos dermatológicos e produtos cosmetológicos. De maneira geral, os carros-chefes continuam sendo os cremes clareadores e os lasers. E, em qualquer época do ano, a proteção é necessária, com o uso de protetores solares, óculos escuros ou chapéus.

Por que a vitamina C tornou-se uma queridinha nos últimos tempos?

O uso tópico da vitamina C promove uma regeneração celular por meio da atuação direta do colágeno e da elastina, dando mais elasticidade e jovialidade à pele, tornando-a um potente agente anti-idade. É um fotoprotetor natural dos raios ultravioleta A e B, interferindo também em uma melhora significativa da melanina, suavizando as manchas e colorações patológicas, com colaboração na hidratação da pele, que revitaliza a epiderme, tornando-a mais saudável. O uso tópico dessa vitamina combate os radicais livres e trata os sinais precoces e tardios do envelhecimento cutâneo, como as rugas e pequenas alterações.

Os tratamentos caseiros funcionam: mito ou verdade?

Embora eu seja cético com alguns tratamentos populares e domésticos, não podemos deixar de lembrar que todas as medicações existentes foram baseadas nas ervas que os antigos usavam para curar seus doentes. Vale lembrar que o carro-chefe do tratamento caseiro de pele começou no Egito antigo, com Cleópatra, que usava mel e leite de cabra para deixar a pele impecável. É dos grandes achados daquela época. Entretanto, é muito mais fácil e, principalmente, mais seguro um paciente passar por uma avaliação de um profissional – que vai identificar necessidades e possíveis alergias –, sendo mais garantido um paciente adquirir um creme clareador em uma rede de drogarias do que ferver ervas em um caldeirão de cinco litros, que vai render 100 ml de um produto ativo que vai tratar a pele.

*Dr. Jorge Menezes – Médico Cirurgião Plástico – CRM/MG19854

Compartilhar:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *