O que fazer para evitar a flacidez?

Flacidez
Dr. Jorge Menezes – Médico Cirurgião Plástico

A flacidez da pele preocupa não apenas grande parte das mulheres, mas também dos homens. Talvez porque, mais cedo ou mais tarde, ela se apresenta (em diferentes níveis) em todos que envelhecem. Entretanto, é possível agir antecipadamente, atenuando e retardando seus efeitos com bons hábitos e contando com a ajuda da medicina e da tecnologia. Para saber um pouco mais sobre o assunto, a revista Mais Beleza Araujo foi conversar com o cirurgião plástico Jorge Menezes e trouxe tudo aqui pro blog!

O que acarreta a flacidez dérmica?

A flacidez é caracterizada pela desestruturação da arquitetura da pele, uma estrutura de células e substâncias que as unem (como colágenos) e permitem que realizem trocas como as nutricionais e de oxigênio. A flacidez é típica do passar da idade, mas não somente. Depende também do fototipo de pele (que vai de 1 a 6 – da pele albina à pele de pessoas negras). Os tipos 1, 2 e 3 têm mais propensão a uma flacidez antecipada. Com o passar do tempo, a produção de colágeno e demais substâncias que unem as células diminui e sua reposição se torna mais lenta. Isso leva a um comprometimento das fibras elásticas, que são muito importantes para dar textura à pele e para deixá-la mais sedosa e hidratada.

Que hábitos devem ser evitados quando se busca manter a elasticidade da pele?

Com o auxílio da ciência moderna, atualmente não conseguimos parar o relógio, mas é possível envelhecermos melhor. Existem diversos recursos: a toxina botulínica, os preenchedores, os peelings químicos na forma de máscaras para rejuvenescer, os lasers de aplicação cutânea. Porém, o mais importante, associado a esses procedimentos externos para melhoria da flacidez e do envelhecimento, são os nossos hábitos cotidianos.

  • O melhor a ser feito é provocar uma mudança drástica na forma de reeducação alimentar. Devemos ingerir alimentos saudáveis, que perpassem ao menos 70% da dieta, na forma de frutas, legumes e verduras que tragam benefícios e não liberem coisas tóxicas à pele e ao organismo em geral.
  • A prática de exercícios físicos é de suma importância, desde que praticados com a moderação necessária a cada tipo de organismo e sob acompanhamento de profissionais.
  • O uso do filtro solar é também item de primeira necessidade, uma vez que a superexposição ao sol sem proteção é extremamente prejudicial à firmeza da pele, seja na forma de uma ida à praia, piscina ou mesmo na prática diária de exercícios ao ar livre.
  • Vale lembrar que o tabagismo e o consumo excessivo de bebida alcoólica são nocivos ao corpo e apresentam reflexos na pele.
  • Por último, mas não menos importante, é fundamental levar uma vida prazerosa e livre de stress, especialmente no caso das mulheres, já que a questão hormonal (menopausa) costuma acarretar um prejuízo cutâneo, com envelhecimento de uma maneira geral. É preciso manter a mente sã quando se almeja envelhecer bem. Doenças como depressão são também responsáveis por liberar hormônios ruins no organismo que levam a um prejuízo cardíaco, renal, respiratório e no aspecto externo, acelerando o envelhecimento da pele.

E os tratamentos não cirúrgicos?

Há pessoas que não desejam ou não podem realizar cirurgias, seja por questão de saúde ou de pouca idade. Para essas situações, são indicados os dermocosméticos, produtos utilizados por clínicas especializadas em tratamentos de rejuvenescimento e de uso doméstico. São substâncias utilizadas na superfície cutânea que têm como efeito diversas reações benéficas, oferecendo à pele uma melhor textura, hidratação e um aspecto mais saudável e jovial.

Quais áreas podem ser tratadas?

Todas as áreas podem ser tratadas, sem exceção, incluindo mãos, pés, membros superiores e inferiores. Rosto, pescoço e colo seguem sendo as mais procuradas justamente por serem as mais expostas.

Banner genérico (para inserir em assuntos relacionados à saúde e bem-estar no blog)

 

Compartilhar:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *