5 mitos e verdades sobre amamentação

Cute young mother with baby boy at home

Desde 1992, no dia 1º de agosto, é comemorado o Dia Mundial da Amamentação. A data foi criada pela Aliança Mundial de Ações Pró-Amamentação (World Alliance for Breastfeeding Action – WABA) para promover o aleitamento materno e a criação de bancos de leite em todo o mundo.

Apesar de ser um ato muito natural e saudável, a amamentação pode ser um processo difícil no começo, afinal a mãe ainda não sabe como o bebê irá se adaptar, qual será a melhor posição para pega.

Pensando nisso, batemos um papo com a enfermeira e especialista em saúde da mulher, Maria Elisa Resende, que esclareceu para a gente alguns mitos e verdades sobre amamentação. Confira!

1. Existem mulheres que não podem amamentar

FALSO. Toda mulher é capaz de amamentar. O que acontece é que algumas delas podem ter mais dificuldades que outras, especialmente no início.

Por exemplo, se a mãe tiver feito uma cirurgia plástica que tenha reduzido muito o tamanho das mamas, pode ser que ela tenha um volume de leite menor. Mas, ainda assim, ela será capaz de amamentar seu filho.

2. Hoje as mulheres amamentam mais que em décadas passadas

VERDADEIRO. Depois dos anos 1980, surgiu uma motivação muito grande com relação à amamentação, tanto por parte dos pais quanto dos profissionais de saúde, que também mudaram a sua abordagem.

E esse não é um movimento que acontece isoladamente. Ele chega ao lado de outros, como o do parto natural, da humanização do parto e da busca pelo fortalecimento dos direitos da mulher, como o de amamentar em público.

3. Quanto maior o peito, mais leite a mulher vai produzir

FALSO. Não é o formato ou tamanho da mama que vai fazer a mãe produzir leite ou não. Esses mitos nada mais são que barreiras culturais.

Algumas mulheres pensam “minha mãe não me amamentou, então eu não vou conseguir amamentar também”. Isso é uma tendência tão arraigada, que muitas vezes é difícil de notá-la. Por isso, é muito importante que os pais procurem ajuda de profissionais para se orientarem e se informarem melhor sobre esse assunto.

4. A mãe pode começar a amamentar em qualquer lugar

FALSO. Assim que o recém-nascido chegar em casa, é importante escolher um lugar calmo e reservado que favoreça essa “lua de mel” da mãe com o bebê que é a amamentação. Um lugar com muitas pessoas ou barulhento demais poderá dificultar os primeiros passos da mamada, que é essencial para a mamãe se adaptar, aperfeiçoar a técnica e criar uma rotina.

Dessa forma, nada de sala de visita ou de ficar conversando com a mãe durante o processo. É preciso concentração para perceber se o bebê está mamando direito.

Outro ponto importante é a postura da mãe e a posição do seu filho, porque elas são fundamentais para a pega. Assim, poltronas e almofadas específicas são recomendadas e devem ser usadas sempre que possível.

ebook-cha-de-bebe-02

5. A preparação para a amamentação deve se iniciar antes do bebê nascer

VERDADEIRO. Muitas mulheres ficam divididas com relação ao aleitamento materno por questões que envolvem a autoestima e a sexualidade, e isso é perfeitamente normal. Muitas vezes, pelo fato da nossa cultura ser muito erótica e sensual, elas temem deixar de ser mulher, esposa ou profissional ao se dedicar à amamentação.

Sendo assim, a preparação para a amamentação deve ser feita com calma, com a consciência sobre possíveis limitações pessoais e com o apoio do parceiro e da família. Isso requer tempo e não deve ser deixado para a hora que o neném chegar.

Ah! Lembre-se sempre de seguir as orientações de um médico, afinal cada mamãe e bebê são únicos e devem ter as suas necessidades respeitadas.

E aí, gostou de saber alguns mitos e verdades sobre amamentação? Ainda ficou com alguma dúvida? Se inscreva no curso gratuito para gestantes da Araujo. A nossa entrevistada, Maria Elisa Resende, é uma das palestrantes e dará dicas sobre cuidados com o recém-nascido e aleitamento materno. Saiba mais sobre a programação aqui.

O ministério da saúde informa!

Compartilhar:Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Pin on PinterestEmail this to someone

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *