Sinal vermelho para a violência contra a mulher

17Sinal vermelho para a violência contra a mulher

Ao longo do isolamento social em virtude da pandemia de COVID-19, os casos de violência doméstica subiram consideravelmente no país. Muitas mulheres têm ficado mais tempo em casa juntas de seus agressores, o que também dificulta que elas façam as denúncias.

Nesse contexto, uma parceria entre a Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (Abrafarma), Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), Associação dos Magistrados Brasileiros (AMB) e Conselho Nacional de Justiça (CNJ) criou a campanha Sinal Vermelho Para a Violência Doméstica.

A iniciativa de amparo às vítimas coloca as farmácias como agentes de comunicação em caso de violência doméstica. A ideia é mobilizar atendentes e farmacêuticos para acolhimento e tomada de providências, quando necessário.

A Drogaria Araujo, a maior rede de drogarias do estado, presente na vida dos mineiros desde 1906, atendeu a esse chamado e aderiu à campanha.

Idealizada pela AMB, a campanha tem por objetivo oferecer um canal de denúncia às vítimas impedidas de chamar a polícia em seus domicílios, em virtude da violência sofrida. A iniciativa permite que, ao se identificar a vítima em nossas lojas de forma silenciosa e eficaz, sejam tomadas as providências necessárias à sua proteção.

Como funciona

  • A vítima é orientada a se deslocar até uma farmácia e mostrar ao atendente ou farmacêutico um X desenhado na palma da mão, com batom vermelho ou outro material.
  • Ao ver o X, o colaborador deve ligar para o 190 e acionar a Polícia Militar. Em seguida, é necessário conduzir a vítima a um espaço reservado da farmácia para aguardar a chegada dos policiais.
  • Caso a vítima não possa esperar, os colaboradores devem tentar obter informações importantes para fornecer à Polícia Militar, como RG, CPF, endereço e telefone.

Para a segurança de todos e sucesso da operação, os procedimentos serão realizados com sigilo e discrição. Atendentes ou farmacêuticos não têm responsabilidade de figurar como testemunhas da ocorrência e atuarão apenas como comunicantes.

Mulheres que convivem com seus agressores estão ainda mais suscetíveis neste momento de isolamento social. A Araujo cumpre seu papel social ao apoiar a campanha SINAL VERMELHO PARA A VIOLÊNCIA CONTRA A MULHER, estando de portas abertas, algumas, 24h, e sempre perto de quem precisa. A campanha é um incentivo para que as agressões sejam denunciadas, medida essencial para a punição dos agressores e segurança da mulher. Temos a chance de ajudar a salvar vidas e preservar essas famílias.