Cabelo oleoso: 6 dicas para resolver o problema!

A sensação de ter o cabelo oleoso é bem desconfortável: fios grudando entre si, com brilho excessivo e um aspecto desleixado. Para saber como lidar com a oleosidade dos cabelos é preciso entender também as suas causas. 

Como saber se o cabelo está oleoso? 

Há um excesso de oleosidade no couro cabeludo que pode se espalhar até as pontas dos fios, os cabelos “pesam”, perdem o movimento, o couro cabeludo pode também coçar. 

“Muitas vezes não sabemos realmente se nosso couro cabeludo está com excesso de oleosidade. Tem hora que só com uma avaliação de tricoscopia conseguiremos ver esse excesso”, explica a terapeuta capilar e fundadora da clínica de tricologia e terapia capilar L’apothicaire (@terapiacapilarbh.lapothicaire) Polliana Abreu. Mas a especialista dá uma dica básica: “no dia a dia, ao se perguntar “lavei hoje, como ele vai estar amanhã?”, se a resposta for oleosa, já podemos considerar um couro cabeludo oleoso”. 

Quais são as causas do cabelo oleoso?

As causas são diversas. “Uma alimentação muito inadequada, com muita gordura, um desequilíbrio hormonal, o uso de medicamentos ou até mesmo de produtos cosméticos que não são ideais para seu tipo de couro cabeludo podem desregular a glândula sebácea, que é a responsável pela formação de sebo”, explica Polliana. 

Como tirar a oleosidade do cabelo?

A oleosidade nunca deve ser totalmente retirada e sim tratada e controlada, explica Polliana. Ela alerta para o uso de shampoos e produtos de limpeza profunda ou antirresíduos: “eles podem provocar o famoso efeito rebote. O que precisa ser feito é  o controle da glândula sebácea”. 

Algumas dicas importantes:

1. Shampoo para cabelos oleosos:

O melhor shampoo é o indicado para o seu tipo de cabelo e, no caso do oleoso, um que promove uma limpeza profunda e, ao mesmo tempo, ajuda a controlar a produção de óleo.

2. Condicionador para cabelos oleosos:

Não é correto que cabelos oleosos não precisam de hidratação. O importante é aprender a usá-lo do jeito certo, focando nas pontas dos fios. Um erro costuma ser a aplicação de condicionadores, máscaras e óleos, próximos ao couro cabeludo (tem gente que chega até a passar diretamente no couro cabeludo!), o que pode obstruir os poros, causando a produção de ainda mais sebo.

3. Lavar na frequência certa:

O excesso de limpeza pode impactar um aumento da produção de sebo, assim como ficar muito tempo sem higienizar os fios pode desequilibrar a produção de sebo, provocando um aumento de óleos no couro cabeludo. No geral, o recomendado é lavar o cabelo de 2 a 3 vezes na semana, mas um especialista poderá fazer uma avaliação customizada.

4. Evitar água e secadores muito quentes:

Busque sempre lavar os fios com água fria ou, no máximo, morna. Apesar de relaxante, a água quente pode ressecar o couro cabeludo, desequilibrando a produção das glândulas sebáceas. O mesmo vale para os uso frequente de secadores, chapinhas e afins. Nesse caso, uma boa pedida é fazer uso de um protetor térmico.

5. Ter uma alimentação saudável:

Uma alimentação saudável, nutritiva e equilibrada, com foco em frutas e verduras frescas e com pouca gordura, frituras e açúcares, tem reflexos diretos na boa saúde da pele e dos cabelos. 

6. Procurar uma avaliação especializada:

Um terapeuta capilar ou um profissional dessa área pode ajudar a controlar essa patologia com sessões de terapia e indicações de produtos corretos.

Como disfarçar um cabelo oleoso?

Já existem diversos produtos no mercado, como os famosos shampoos a seco, que podem ser uma alternativa para situações de emergência.  “Entretanto, deve-se tomar cuidado para não fazer um uso excessivo deste produto, o ideal é sempre lavar o cabelo e manter o couro cabeludo limpo”, avalia a especialista. 

Cabelo oleoso masculino: existe diferença?

De acordo com Polliana não existe, a patologia é a mesma para ambos e deve ser tratada igualmente. A única observação que ela faz para os homens é sobre o uso do condicionador: “esse sim deve ser usado com cuidado e um produto específico”. 

Cabelos oleosos: hidratação

Polliana explica que “o couro cabeludo tem uma necessidade e os fios outra“ e que, por isso, “o ideal é ter produtos para ambas as necessidades”. Dessa forma, nunca deixamos de cuidar dos fios, mantendo-os saudáveis, bonitos e cheios de viços.