Como ter um cabelo bonito todos os dias?

Cuidar dos cabelos vai muito além de lavá-los e penteá-los. Para que eles mantenham seu brilho natural e fiquem livres de danos, é preciso acertar na escolha dos produtos e adotar alguns hábitos, como fazer um cronograma capilar e fugir das altas temperaturas.

Confira essas e outras dicas da especialista Polliana Abreu (@polliabreu), que é terapeuta capilar e fundadora da clínica de tricologia e terapia capilar L’apothicaire (@terapiacapilarbh.lapothicaire).

O que é um cabelo bonito?

Cabelo bonito é aquele saudável e bem tratado, seja ele liso, ondulado, cacheado ou crespo, explica Poliana. Para iniciar uma rotina de cuidados é preciso identificar o seu tipo de fio: os produtos e tratamentos a serem usados serão mais adequados e, assim, mais eficientes. Abaixo, você confere, em detalhes, sobre cada um deles.

Tipos de cabelo

  1. Cabelo liso

O cabelo liso possui menos volume e a oleosidade se distribui de forma homogênea ao longo de toda a extensão dos fios, que são naturalmente brilhantes. Eles não possuem curvatura (fica até difícil manter um penteado por muito tempo) e têm uma espessura bastante fina; divididos em: 1A, 1B e 1C, sendo o 1A o mais fino dos três.

  1. Cabelo ondulado
    Ondulado é o cabelo tipo 2: seus fios nascem lisos na raiz, mas formam ondas. A oleosidade do couro cabeludo não chega às extremidades e, por esse motivo, podem ser comuns pontas secas. O ondulado divide-se em: 2A (ondas com pouco definição, mas os fios podem ser modelados mais facilmente), 2B (ainda sem cachos, mas com bastante volume), e 2C (as ondas são bem marcantes/cachos quase formados; cabelo com leve tendência ao frizz).
  2. Cabelo cacheado
    Cacheado é o cabelo tipo 3: seus fios nascem lisos na raiz e formam cachos de diferentes tamanhos ao longo do seu comprimento. Ele possui uma forte tendência ao frizz, especialmente em dias com alta umidade do ar. O tipo 3A tem cachos abertos e espaçados, em formato de espiral; no tipo 3B, os cachos já surgem próximos à raiz e são mais definidos; o 3C tem cachos bem pequenos da raiz às pontas e o fio é mais grosso (se aproxima bastante do crespo).
  3. Cabelo crespo
    Crespo é o cabelo tipo 4: seus fios têm curvatura bem acentuada, do couro cabeludo até seu comprimento final. Ele é naturalmente mais seco, demandando cuidados específicos de hidratação e de nutrição. O tipo 4A se aproxima bastante do 3C, sendo apenas um pouco mais grosso; o 4B tem mechas que lembram a forma da letra Z (elas se entrelaçam com facilidade e encolhem bastante quando os fios estão secos); o 4C é o mais crespo dos três: ele cresce todo para cima, com bastante volume e seus cachos são quase imperceptíveis.

Como ter um cabelo bonito e saudável

Da lavagem à forma que a pessoa se alimenta interfere na aparência dos fios. Saiba como deixar o cabelo mais bonito em 8 passos. 

  1. Use shampoo e condicionador adequados

Agora que você já sabe que existem diferentes tipos de fios, com características e necessidades diferentes, ficou fácil entender porque escolher um shampoo e um condicionador específicos faz toda a diferença. Com os produtos corretos, as demandas de cada fio são supridas, contribuindo para o resultado desejado. 

  1. Proteja os fios das agressões externas

A exposição ao sol, ao sal do mar ou ao cloro da piscina pode sim danificar os fios, especialmente os tingidos ou quebradiços. Uma ótima maneira de protegê-los é fazer uso de chapéus e bonés — mas lembrando de não utilizá-los em excesso, pois eles podem abafar o couro cabeludo. Outra forma é aplicar antes um leave-in hidratante com proteção solar ou, após a exposição, fazer uso de um creme que evita o ressecamento dos fios ou previne o desbotamento da cor, por exemplo.

  1. Tenha um cronograma capilar

Todos podem e devem manter uma rotina de cuidados com o cabelo, com etapas como hidratação, nutrição e reconstrução (o chamado cronograma capilar), afirma Polliana. Mas a especialista ressalta que “ainda mais importante que realizar um cronograma capilar, é antes entender qual a sua maior necessidade, seja a nutrição, a reconstrução ou a hidratação”. 

  1. Não abuse das altas temperaturas

O calor excessivo diretamente nos fios, seja pelo uso frequente de chapinhas e secadores ou de água quente nos banhos, pode minar a força e o brilho dos fios. Mesmo em dias mais frios, dê preferência a banhos com água morna ou, se possível, lave os cabelos com água fria. Ela fecha a cutícula dos fios e ainda ajuda no controle da oleosidade.

  1. Corte as pontas de vez em quando

As pontas dos fios costumam sofrer com o ressecamento e com quebra capilar com o passar do tempo. Por isso, cortar os cabelos de 3 em 3 meses é uma ótima maneira de eliminar pontas duplas e secas, explica Polliana, apesar de isso não garantir um crescimento acelerado, como se acredita.

  1. Use um pente ou escova adequada

Nem todo mundo sabe, mas existem diferentes tipos de escovas e pentes para cada cabelo. Cabelos lisos e longos, por exemplo, pedem escovas quadradas (tipo “raquete”) e com cerdas grossas, para que penetrem bem nos fios, e pentes de madeira, para que evitem que os fios conduzam eletricidade estática (frizz) e fiquem todos fora do lugar. 

  1. Tenha uma alimentação saudável

Uma boa alimentação impacta positivamente na saúde dos fios, é o famoso cuidar de dentro para fora. Uma alimentação especialmente rica em vegetais e proteínas contribui para o fortalecimento da fibra do fio, influenciando diretamente na sua aparência. Manter o corpo hidratado, ingerindo bastante água diariamente, também faz parte da receita de sucesso para os fios. 

  1. Consulte-se com um(a) dermatologista

O ideal é sempre buscar uma avaliação com um profissional especializado para a escolha correta do tratamento, seja em clínica ou em casa. Na área da Dermatologia existe a Tricologia, uma subespecialidade que estuda doenças do cabelo, couro cabeludo e demais que levam à queda dos fios.

Confira a sugestão de tratamentos feita pela especialista Polliana Abreu

  1. Cabelos oleosos: Cabelos oleosos demandam atenção especial e devem ter produtos corretos para seu controle. Diferentemente do que se costuma pensar, não se trata da retirada total da oleosidade, mas sim de controlá-la, explica Polliana. Ela também alerta: “nunca utilize shampoos antirresíduos para excesso de oleosidade, pois pode causar o tal “efeito rebote”.
  2. Cabelos secos: Cabelos secos precisam de produtos mais hidratantes”, de diferentes funções. Uma boa pedida são as máscaras mais concentradas, como as que contêm óleos em sua composição.
  3. Cabelos mistos: “Nem todos sabem, mas considero todos os cabelos mistos, uma vez que o couro cabeludo tem uma necessidade e os fios outra. Costumo indicar um shampoo para o couro e outro para os fios”, explica a especialista.
  4. Cabelos danificados ou quebradiços:Cabelos danificados e quebradiços precisam de produtos de reconstrução que têm como base a proteína. Entretanto, é um caso de suprir todas as necessidades, como nutrição (lipídio), reconstrução (proteína) e hidratação (água). Sugiro seguir 21 dias com cada benefício”, ela indica.