Vitamina C para o rosto

A vitamina C é um verdadeiro coringa do skincare: é multifuncional e pode ser usada por todos os tipos de pele. Uma das suas principais características é o efeito peeling, ou seja, ela é capaz de retirar as células mortas, fazendo surgir uma pele renovada, com mais firmeza, brilho e viço. 

Além de um poderoso rejuvenescedor, ela oferece ainda outros diversos benefícios, como nos explica o médico Jorge Menezes – CRM/MG 19854 (@esthetic.care), cirurgião plástico e mestre em cirurgia plástica pela Universidade Federal de São Paulo. Conheça mais sobre o uso da vitamina c no rosto e saiba como inseri-la na rotina de cuidados de uma forma descomplicada.

O que é a vitamina C?

A vitamina C (ou ácido ascórbico) é uma vitamina essencial para o organismo, apesar de não ser produzida por ele. Ela é importante, por exemplo, para que o sistema  imunológico funcione a todo vapor, para a boa saúde dos ossos, da circulação sanguínea, entre outros. 

Na indústria farmacêutica, ela está presente desde o início do século passado em tratamentos para a pele do rosto, sendo dos mais antigos que existem. Inicialmente, ele era feito somente por médicos, em clínicas e com todo um preparo especializado. Foi só depois que a indústria descobriu que, numa nova concentração, o peeling com ácido ascórbico podia ser usado também domesticamente, permitindo com que seus benefícios estivessem acessíveis a muito mais gente. Desde então, a vitamina C tornou-se queridinha do skincare

Quais os benefícios da vitamina C para o rosto?

São vários! Com a palavra, o médico Jorge Menezes:

  1. Ameniza rugas e linhas de expressão: “A vitamina C promove um turn over na pele (renovação celular epidérmica) ao retirar coberturas envelhecidas e permitir que uma nova (que estava em camadas mais profundas) venha à tona. Esta superficialização da pele faz com que ela surja agora sem manchas, com menos rugas e linhas de expressão. Esse é o grande poder de rejuvenescimento da vitamina C”.
  2. Hidrata a pele: “Todas as vezes que ela promove essa renovação, tirando a parte envelhecida e deixando vir à tona uma mais nova, ela confere uma hidratação maior à pele. E isso porque a pele jovem que chega é mais viçosa, mais bonita; há ali um tecido cutâneo novo, com um metabolismo que traz jovialidade e um brilho como um todo. Ela também possui propriedades hidratantes capazes de impedir a perda de água da barreira natural da pele”. 
  3. Evita o envelhecimento precoce da pele: “A vitamina C tem ação antioxidante, ou seja, ela protege a pele contra as agressões provocadas por moléculas que aceleram o processo de envelhecimento da pele (os radicais livres). Além disso, os produtos com vitamina C estimulam a formação do colágeno, que dá firmeza e tônus à pele”. 
  4. Clareia a pele: “Uma das primeiras coisas que a vitamina C promove é o clareamento, justamente pelo efeito peeling que retira células mortas e, com elas, um bocado das manchas de sol, cicatrizes de acne, entre outros”.
  5. Protege a pele do sol e da poluição: “Ela protege a pele do sol, principalmente dos danos provocados pelos raios UVA e UVB, que são os grandes envelhecedores cutâneos. Ela oferece ainda proteção contra a poluição ao criar uma barreira na pele que impede que estes poluentes (fuligem, poeira, fumaça de cigarro, etc) se impregnem na pele, provocando a obstrução de poros”. 


A vitamina C funciona em todos os tipos de pele? 

Sim! Ela é superdemocrática, funciona em todos os tipos de pele, sem exceção. O médico explica que houve uma época em que seu uso ficava restrito a alguns fototipos da escala de Fitzpatrick, uma classificação que contém 6 fototipos cutâneos diferentes que variam de acordo com a quantidade de melanina (substância que dá cor à pele). Ela vai de 1 a 6, começando pelas peles mais claras e chegando às mais escuras. “Existia um receio de usar nas peles tipo 4, 5 e 6 por medo de queimaduras. Hoje, felizmente, é possível usá-la em todos os tipos de pele com a manipulação em determinados tipos de concentração, e todas as peles têm ganho com o seu uso”, explica o médico.

Qual a melhor vitamina C para o rosto?

Vale dizer que existe a vitamina C pura e a derivada e que, quanto maior a sua concentração em cremes e séruns, maior seu potencial. Contudo, isso não significa que uma maior concentração será, necessariamente, melhor. Por isso, é tão importante o acompanhamento feito por dermatologista ou cirurgião plástico para uma avaliação individualizada. É preciso fazer um diagnóstico considerando os diferentes tipos de pele, ressalta Jorge Menezes, pois cada pele tem especificidades quanto ao uso da vitamina C.

  • Pele acneica: “Por ser uma pele muito oleosa, a vitamina C tem nela uma ação efetiva na forma de redução de oleosidade e em uma concentração que mata as bactérias que provocam a espinha (acne)”.
  • Pele seca: “É uma pele que precisa de um cuidado maior, pois já sofre no dia a dia com as ações do vento, da poluição; é uma pele que requer uma concentração mais baixa de vitamina C. Entretanto, os resultados são igualmente satisfatórios, especialmente na área de rejuvenescimento cutâneo”.
  • Pele madura: “É possível fazer uso de uma concentração mais forte. Como a pele já é madura, é possível que ela tenha pequenos sinais de envelhecimento, com ruguinhas e linhas de expressão. Uma concentração maior vai promover uma agressão maior do ácido ascórbico sobre a pele, trazendo um resultado eficiente”. 

Como usar vitamina C no rosto?

Uma boa medida é aplicá-la uma vez por dia, após fazer a higiene do rosto com produtos específicos para o tipo de pele. De acordo com o médico, no amplo universo da vitamina C (pura e derivada), o mais utilizado nos dias atuais é o sérum, que é o intermédio entre um creme e um líquido. “Ele é mais oleoso, tem uma aplicação mais fácil, mais efetiva, com uma duração de contato maior”, diz. A aplicação deve ser feita do centro para a extremidade do rosto e, próximo à região dos olhos, sempre com movimentos circulares contrários à gravidade.

O médico explica ainda que o uso combinado da vitamina C com um protetor solar oferece resultados melhores. Quando usada antes do protetor solar, a vitamina oferece uma espécie de escudo antioxidante e, ao mesmo tempo, o fator de proteção garante que o efeito da vitamina C seja prolongado.

“Além do protetor solar, você pode usar a vitamina C sozinha ou associada a outros produtos, como os hidratantes (especialmente em peles secas) e outros ácidos. Há combinações que, comprovadamente, oferecem ótimos resultados como com o ácido hialurônico, com bioestimuladores, entre outros. Além dos efeitos do rejuvenescimento provocados pela vitamina C, o uso combinado trará uma estimulação do colágeno, uma hidratação maior da pele, ou seja, uma proteção acentuada. Consulte sempre seu médico. Só ele poderá dizer qual mix pode ser usado de vitamina C com outro produto, dando este efeito duplo ou triplo”, diz o médico.