Limpeza do carro em época de coronavírus

Limpeza do carro em época de coronavírus

A orientação é não circular; é ficar em casa. Mas se for preciso sair, como se proteger do coronavírus e fazer corretamente a limpeza do carro? Tem medidas de higienização a serem tomadas?

O médico infectologista Lucas Chaves é bem claro: “se estiver com sintomas de gripe, não é para sair de casa e ponto, a não ser que tenha falta de ar, então a recomendação é procurar um serviço de saúde. Para os assintomáticos, a orientação é higienizar as mãos.”

O médico explica que o carro é como se fosse uma extensão da nossa casa, inclusive com os mesmos grupos de bactérias e vírus que circulam na família. Assim, como não é recomendado sair nem receber ninguém em casa neste momento, a regra vale para o carro também, ou seja, evitar dar e pegar carona.

Um estudo feito nos Estados Unidos apontou que a parte mais suja (contaminada por bactérias e fungos) é o volante. Por isso, ele deve receber atenção especial na hora da limpeza do carro. Para quem transporta filhos e outras pessoas dentro do veículo e usa aqueles lixinhos portáteis, também é bom ficar atento. “O ideal é esvaziá-lo diariamente, principalmente se houver lenços de papel com secreções de olhos, boca e nariz, que podem conter vírus”, alerta Matteo Petricione Júnior, da oficina A.M Marcelo.

Rotina de limpeza do carro

Em época de pandemia, é recomendado limpar as peças do carro todas as vezes que for entrar no veículo. Primeiro, limpe suas mãos e, depois, higienize a maçaneta interna da porta, o volante e o câmbio.

Observação: o álcool em gel 70%, apesar de eficaz no combate ao novo coronavírus, pode danificar as peças do carro. O mais indicado para o veículo, portanto, é utilizar água e sabão neutro. Uma saída simples é usar um borrifador pequeno, com a mistura de água e sabão infantil, para umedecer todo o painel do veículo, inclusive a tela da central multimídia. Em seguida, com um pano macio de microfibra devese esfregar bem tudo, porque o vírus também não resiste ao atrito com o pano.

Outra pessoa usou o carro?

Deixou o carro com o manobrista? A orientação é a mesma. Antes de iniciar a viagem, esfregue bem volante, painel, manopla de câmbio, maçanetas internas e externas, além dos assentos. O pano tem que estar úmido (e não molhado). A sequência é a mesma: borrifar o sabão e depois passar o pano.

Mesmo fazendo a limpeza, é importante não levar as mãos ao rosto, pois as roupas ou outras partes do corpo podem estar infectadas do ambiente externo, e se você passa a mão em alguma gotícula e a leva ao rosto, a infecção ocorre.

Quais produtos não devo usar?

Não use alvejante ou água oxigenada no interior do carro, principalmente no estofamento. Evite também produtos de limpeza à base de amônia nas telas e painéis, pois eles podem comprometer o funcionamento dos aparelhos.

Alguém espirrou o tossiu dentro do carro

O risco de contágio é maior se alguém com gripe tossir ou espirrar no carro, uma vez que o coronavírus é dissipado principalmente pelas gotículas de saliva. Neste caso, o ideal é limpar, também com água e sabão neutro, as áreas afetadas. Os botões de comando ou as alavancas de seta e faróis também são importantes. Na falta do sabão neutro, álcool líquido 70%, e não em gel, também funciona muito bem para as partes duras do carro, sem danificar as peças.

Como evitar o desgaste por excesso de limpeza do carro?

Para não desgastar o couro do carro, nestes tempos em que a limpeza precisa ser mais assídua, uma boa hidratação é bem-vinda. Há produtos específicos no mercado. Apesar de o couro sintético não precisar de tanta hidratação, por não ser poroso, vale a pena hidratá-lo também para que ele não descasque ou rache por causa do ressecamento.

O couro também pode ser limpo com álcool líquido, mas, a longo prazo, o melhor é usar sabão em barra e água para a limpeza de manchas e derramamentos. Essa solução não costuma danificar o couro

Se o estofamento do carro for de tecido sintético, o melhor é usar mesmo água e sabão. Mas é muito importante neste caso preparar uma mistura que não faça espuma, porque ela deixará os bancos umedecidos por um bom tempo, o que vai colaborar com o desenvolvimento dos fungos.

Vidros: abertos ou fechados?

Aquela velha briga entre ar-condicionado ou janela aberta deve ser suspensa, ao menos temporariamente, durante as semanas mais agudas de contágio do vírus. Prefira manter o interior do carro arejado e com o ar externo circulando do que fechado, principalmente se algum dos integrantes estiver com sintomas de gripe ou qualquer infecção respiratória.

Por falar em ar-condicionado, é muito importante lembrar que independente da pandemia, a limpeza dos filtros deve ser feita a cada seis meses. Outra dica útil para eliminar os microrganismos que ficam no duto do ar-condicionado, perto das saídas de ar. Cinco minutos antes de chegar em casa, ligue o ar quente na potência máxima. Isso vai dar uma boa higienizada no sistema.

Fontes:
Estadão, 23 de março de 2020.
O Tempo, 13 de março de 2020.