Diabetes: quais são os tipos e como prevenir?

Ouvimos muito que a diabetes está cada vez mais comum, em pessoas de todas as idades, mas nem sempre sabemos o que é a própria diabetes. Às vezes, apenas relacionamos essa doença com o exagero nos doces, mas não é bem assim.

E como é, então? Aqui vamos explicar o que é a diabetes e como diagnosticá-la. É importante saber do diagnóstico dessa condição o quanto antes por ser uma doença silenciosa, então fique atento!

O que é Diabetes?

Para começar, não existe só um tipo de diabetes. Por isso não dá pra dizer que o diabético sempre será uma pessoa que come muitos doces, porque cada tipo tem uma causa. A Diabete Mellitus (DM) como é conhecida mais formalmente, é uma síndrome metabólica de origem múltipla. O que isso significa? Resumidamente, é uma doença que afeta o metabolismo (a “absorção”) de algum nutriente e que pode surgir de mais de uma forma.

No caso, a diabetes ocorre pela falta de insulina e/ou da insulina não estar surtindo efeito adequadamente. A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas que age na absorção de glicose, reduzindo a quantidade de açúcares no sangue. Com a falta de insulina, o corpo tem dificuldade para “processar” a glicose, e é aí que a diabetes aparece.

Tipos de diabetes

Diabetes tipo 1

Um dos principais tipos da doença  é a diabetes tipo 1, que é causada pela falta de células que produzem a insulina. Essa destruição das células ocorre pelo ataque do próprio sistema imunológico, em que os anticorpos (as células de defesa) atacam as células que produzem o hormônio.

Essa destruição pode acontecer ainda por outro motivo menos comum: a maior parte dos casos são por esse processo autoimune. Pessoas com diabetes tipo 1 necessitam de aplicações de insulina obrigatoriamente, que são injeções com o hormônio.

Geralmente, essa diabetes vem acompanhada de outras doenças autoimunes, como a tireoidite de Hashimoto.

Sintomas

  • Vontade de urinar frequente;
  • Fome e sede frequentes;
  • Perda de peso;
  • Fraqueza e fadiga;
  • Mudança de humor;
  • Náuseas e vômitos.

Diabetes tipo 2

A diabetes tipo 2 ou resistente à insulina, é quando a pessoa se torna resistente ao hormônio. Ela ocorre em cerca de 90% dos casos de diabetes e é mais frequente depois dos 40 anos. Nesses casos, a pessoa produz normalmente a insulina, mas continua com as elevadas quantidades de açúcares no sangue pois é resistente ao hormônio.

Sintomas

  • Infecções frequentes;
  • Visão embaçada;
  • Dificuldade de cicatrização;
  • Formigamento nos pés;
  • Furúnculos.

Diabetes gestacional

Essa diabetes que afeta gestantes ainda não tem uma causa conhecida, mas parece estar relacionada a uma intolerância aos carboidratos no geral. Ela pode ter várias intensidades e pode ou não continuar depois do nascimento da criança, mas é diagnosticada pela primeira vez durante a gestação.

Os fatores de risco relacionados com essa condição são:

  • Ganho de peso exagerado durante a gestação;
  • Baixa estatura;
  • Crescimento excessivo do feto;
  • Polidrâmnio (excesso de líquido amniótico);
  • Hipertensão ou pré-eclâmpsia (pressão alta durante a gravidez;
  • Casos de morte fetal/neonatal anteriores.

A confirmação da diabetes gestacional é feita entre as 24° e 28° semanas, e em casos de exames que estejam normais mas ainda tenha a suspeita, o teste deve ser repetido em um mês ou perto da 32° semana.

Criança pode ter diabetes?

Sim. A diabetes é uma doença que pode ocorrer em qualquer idade por mais que tenha mais propensão em certas faixas etárias. Mas no geral, você pode ter crianças, adolescentes e adultos com essa condição.

Prevenção

É sempre importante ficar atento ao nível de glicose no sangue, pois quando a glicemia em jejum está entre 100 e 125 mg/dl, é considerado pré-diabetes.

Para pessoas que já tem parentes na família com histórico de DM, é importante manter uma alimentação balanceada, praticar exercícios físicos regularmente, não fumar, controlar a pressão e evitar remédios que possam danificar o pâncreas (desde que eles não sejam necessários). 

Pessoas que já têm diabetes precisam fazer os exames com frequência, tomar os medicamentos necessários, manter uma alimentação balanceada e saudável, praticar atividades físicas com frequência e controlar a glicemia.

Controle da diabetes

A primeira coisa importante para controlar a diabetes é: seguir as orientações do médico e do nutricionista. Eles vão dizer que alimentos comer e que alimentos evitar.

Dito isso, existem algumas recomendações de alimentos que costumam ser mais gerais. São elas:

  • Controlar a quantidade de carboidratos de alto índice glicêmico: não são só os doces que trazem glicose, mas também as massas em geral.
  • Combinar carboidratos com fibras, proteínas e gorduras boas: os carboidratos são importantes para o corpo porque são a nossa principal fonte de energia. Fibras, proteínas e gorduras boas ajudam o corpo a lidar melhor com eles na hora da digestão.