Como identificar o estresse e encontrar formas de viver melhor

Não é novidade que o estresse afeta nossa qualidade de vida e saúde. Tão comum na vida adulta, fica até mesmo difícil encontrar alguém que nunca tenha convivido com um cansaço excessivo ou se viu com uma irritação constante.

Entretanto, é preciso ficar claro: quando vivenciamos situações de tensão, nosso organismo libera hormônios como a adrenalina, a noradrenalina e o cortisol (hormônios do estresse), algo completamente esperado. É normal a frequência cardíaca e a pressão sanguínea aumentarem e os músculos se contraírem – entre outras reações. Além disso, efeitos como esses de uma superexcitação repentina têm uma duração curta no organismo.

É o estresse crônico que chama a atenção e causa preocupação. Quando é constante e por um longo período, ele pode acarretar uma série de sintomas. Além de irritabilidade e cansaço extremos, podem ocorrer – entre outros – gastrites (ou até úlceras), mudança no ciclo menstrual, perda de cabelo, de memória e de apetite sexual, transtornos do sono e alterações na pele.

Estresse e a pele

Sim, a pele também sofre com o estresse crônico, seja com o aparecimento de bolsas e manchas escuras embaixo dos olhos, com o aumento da acne ou com a perda da vitalidade, diminuição da elasticidade e surgimento de linhas de expressão.

“Nos dias de hoje, há três fatores que impactam de forma considerável a pele do rosto e do colo, além da exposição ao sol, que são o estresse, a Síndrome de Burnout e a depressão”, afirma Jorge Menezes, médico e cirurgião plástico. “Tais alterações corporais levam a um estresse de funcionamento corporal provocando um índice maior de radicais livres e, principalmente, uma produção exacerbada de cortisol, que funciona como um veneno corporal.

Tudo isso acelera o processo de envelhecimento cutâneo”, ele explica. O uso de cremes e séruns antioxidantes ajuda a reduzir o efeito do estresse, mas, o fundamental é perceber se (ou de que forma) ele está sendo capaz de afetar sua rotina.

Vale a pena seguir alguns cuidados:

  1. Priorize uma alimentação saudável e balanceada e pratique exercícios físicos prazerosos (não vale somente academia!). Dançar é também uma ótima fonte de prazer.
  2. Reserve tempo para fazer algo de que goste, ao menos uma vez por semana.
  3. Desacelere seu ritmo.
  4. Organize-se para ter um dia mais focado e leve.
  5. Procure dormir bem, ter um sono reparador de fato. Ao menos uma hora antes de ir deitar, desligue o celular ou deixe-o fora de seu alcance.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *