Os primeiros dentinhos do bebê

O surgimento dos primeiros dentinhos em bebês é um marco em seu desenvolvimento. Quando eles aparecem? Mães e pais devem estar atentos? Existe algo a ser feito como preparação a este ritual de passagem da infância? Existe relação entre probióticos e a saúde bucal de bebês? Com a palavra, a médica pediatra Denise Brasileiro (CRM 28201), intensivista neonatal e pediátrica, além de pós-graduada em Nutrologia pela ABRAN e pela Boston University School of Medicine. É também autora do livro Papa Nenê – Alimentação no primeiro ano de vida e, atualmente, faz mestrado em Health Care Management pela MUST University (Flórida/EUA).

O nascimento dos dentes irá ocorrer, na maioria dos bebês, entre 6 e 7 meses de idade. Em alguns, poderá se dar de forma precoce, em torno dos 4 meses; há ainda aqueles que nascem com alguns dentinhos que deverão ser retirados. A duração dos principais sintomas que indicam o nascimento dos dentes costuma ocorrer cerca de 3 a 4 dias antes do rompimento dos dentes. Após isso, eles podem durar outros 3 dias. Por esse motivo, dizemos que gira em torno de uma semana. Dentre os principais sinais que estes dentinhos estão vindo, estão: a criança babar muito, ficar muito irritada, chorando mais do que o normal e colocando muitos objetos na boca. Esses sintomas são muito parecidos com os de outras doenças comuns na infância, como as famosas viroses. Mas é importante compreender que o nascimento dos dentes não causa febre, apenas um ligeiro aumento da temperatura das crianças. Também não deverá ocorrer diarreia.

O que não devemos fazer de jeito nenhum?
Não usar gel com anestésicos, em especial os que possuem benzocaína e/ou lidocaína, nem colocar os mordedores no congelador, pois esse mordedor congelado pode ferir ou queimar a gengiva dos bebês, ou mesmo rachar sua superfície, liberando o líquido interno. Devemos também evitar o colar de âmbar, uma vez que ele não apresenta respaldo científico. Outro motivo é que ele pode oferecer riscos como o estrangulamento do bebê ou mesmo o risco de ele engolir algumas das bolinhas em caso de rompimento do colar.

Além de não concordar com o uso dos géis dentais que contêm anestésicos, a Sociedade Brasileira de Pediatria também alerta para que se tenha muito cuidado no uso de medicamentos contendo uma substância chamada beladona, pois ela pode levar a efeitos colaterais graves nos bebês. Aqueles que são incentivados a mastigar alimentos apropriados desde o início da introdução alimentar vão apresentar uma erupção dentária menos dolorosa, uma vez que aquela gengiva estará mais preparada. Hoje em dia, na introdução alimentar, pedimos muito aos pais que não ofereçam alimentos que foram passados em peneira ou batidos no liquidificador. Outra coisa importante sobre a alimentação nestes dias próximos ao nascimento é que ela deve ser mais pastosa, devendo-se privilegiar alimentos mais frios, pois eles geram um alívio no inchaço da gengiva, e respeitar a falta de apetite deste período, que é temporária. E, se ela persistir, aí deve-se procurar o ou a pediatra.

O desenvolvimento da microbiota oral, assim como o desenvolvimento da microbiota intestinal, acontece nos primeiros 2 anos de vida, sendo a oral a segunda maior e mais complexa comunidade microbiana do nosso organismo após a microbiota intestinal. Essa colonização inicial adequada, sendo feita de uma maneira muito saudável e com a predominância de probióticos, irá gerar muita saúde para esta criança, tanto na infância quanto na fase adulta. Vários são os fatores que interferem nesta colonização inicial da microbiota oral, sendo os principais: aleitamento materno, o tipo de parto, o uso de antibióticos e de outros medicamentos e os alimentos da introdução alimentar. Temos de garantir que essa colonização inicial seja a mais saudável possível, ou seja, por meio do incentivo a uma alimentação equilibrada, com comida de verdade (isto é, alimentos diversos como vegetais, frutas e cereais, bem como a redução do consumo de alimentos ultraprocessados), evitando-se o uso inapropriado de antibióticos e demais medicamentos que levem à destruição de muitos componentes da microbiota.

O uso de medicamentos homeopáticos pode ser feito para alívio do desconforto relacionado ao nascimento dos dentes, evitando-se sempre os que contêm o composto beladona. O uso desses medicamentos homeopáticos seguros para os bebês tem apresentado resultados adequados no impacto de sintomas, especialmente a irritabilidade. Lembrando que medicamentos devem ser indicados pelo médico pediatra; somente ele saberá avaliar se poderá oferecer algum risco ao bebê.

E as principais formas não medicamentosas para aliviar o incômodo nas gengivas, em função do nascimento dos dentes, são: o uso de mordedores esfriados na geladeira, massagem na gengiva com a água fria e manter a criança distraída.

Precisamos, como profissionais da área de saúde, tranquilizar os pais quanto ao nascimento dos dentinhos. Às vezes, eles nem nasceram e os pais já estão muito preocupados. Como dito, os primeiros sinais podem ser uma coceira, um desconforto, bebês irritadinhos, babando muito e coçando muito a boca. Tudo isso é normal e esperado. Mas os pais podem ficar tranquilos, pois trata-se de um processo normal que ocorre em todos os seres humanos, em média, a partir de 6 meses de idade.

* Quem quiser saber mais sobre este e outros assuntos, a pediatra Denise Brasileiro pode ser encontrada nos perfis do Instagram @dpediatra e @bichopapinha.pod e também em seu podcast chamado Bicho Papinha.