Passo a Passo da Alimentação Infantil

Hoje é o dia do nutricionista, e, por isso, preparamos um post especial sobre alimentação infantil. Quem dá as dicas é a Renata Rosa, nutricionista da Drogaria Araujo.

A alimentação nos primeiros anos de vida influencia fortemente a construção dos hábitos alimentares da criança. Muitos erros alimentares da fase adulta são adquiridos na infância, principalmente pela falta de regras e atitudes que orientem a prática de uma alimentação saudável.

Pinterest

Diante desta responsabilidade, é normal que alguns pais sintam-se perdidos e cheios de dúvidas. Para dificultar ainda mais, diversos mitos sobre o assunto parecem torná-lo ainda mais complexo. Mas não precisa ser assim! Pensando em ajudar os pais nessa empreitada, escolhemos alguns ditos populares e vamos esclarecer as verdades e os mitos que figuram entre eles.

“Oferecer chás para o bebê com menos de 6 meses é bom para prevenir cólicas” – MITO

O leite materno contém tudo o que o bebê necessita até o 6º mês de vida, inclusive água. Assim, a oferta de chás, sucos e água é desnecessária e pode prejudicar a sucção do bebê. Além disso, ao ingerir outras bebidas além do leite materno, o bebê pode acabar engolindo muito ar, provocando mais gases e desconforto.

Ao completar 6 meses, devemos restringir o leite materno para o bebê acostumar com outros alimentos – MITO

Após os 6 meses, deve-se introduzir de forma lenta e gradual outros alimentos (papinhas de cereais, legumes, carnes e frutas), porém nos intervalos entre as mamadas. O leite materno deve ser mantido à vontade do bebê, até que ele complete 2 anos ou mais.

A alimentação complementar deve ser oferecida de acordo com os horários de refeição da família, em intervalos regulares e respeitando o apetite da criança – VERDADE

É importantíssimo respeitar as orientações para introduzir a alimentação complementar do bebê. Assim, você respeita o desenvolvimento da criança, apresenta aos poucos novos alimentos e vai formando o hábito alimentar do pequeno.

Pinterest

Devemos adoçar a papinha de frutas e os sucos naturais para incentivar a criança a consumi-los – MITO

Não utilize açúcar para adoçar papinhas e sucos naturais! A criança deve ser educada para gostar do sabor natural dos alimentos. Evite também café, enlatados, frituras, refrigerantes, balas, salgadinho e outras guloseimas nos primeiros anos de vida. Use sal com moderação. Lembre-se de que você está ensinando seu filho a se alimentar bem! O empenho nesta fase poupa a preocupação quando ele estiver maior.

Pinterest

Se a criança recusa um alimento é porque ela não gosta, então não devemos insistir – MITO

Se a criança recusar determinado alimento, procure oferecer novamente em outras refeições. Em média, são necessárias oito a dez exposições a um novo alimento para que ele seja aceito pela criança. Não pense que você está maltratando seu filho, você está educando-o para novos sabores!

A alimentação dos pais é o espelho para que a criança aprenda a se alimentar – VERDADE

De nada adianta encher o seu prato de guloseimas e esperar que seu filho goste de frutas e saladas. Muitas vezes a criança não gosta de um alimento porque sua mãe ou seu pai não gostam. Lembre-se sempre de que o seu prato é o espelho para o prato dos seus filhos, então aproveite o momento e reveja também os seus hábitos alimentares!

Pais que trabalham fora devem deixar à disposição dos filhos os alimentos que eles gostam, mesmo que não sejam tão saudáveis. Afinal, já é muito difícil ficar sem os pais e eles merecem um “agrado” – MITO

O trabalho dos pais é uma realidade que a criança deve aprender a entender. É muito comum que as mães, se sentindo culpadas pela ausência em casa, encham os armários de guloseimas para distrair e agradar os filhos. Não faça isso! Com essa atitude, você estaria ensinando seu filho a usar o alimento para preencher o tempo e se entreter. E, mais tarde, quando você perceber que ele está se alimentando mal, será muito mais difícil recuperar os hábitos saudáveis.

Deixe, sim, para seus filhos: frutas, iogurtes, biscoitos sem recheio e sucos naturais, para que eles mantenham, mesmo na sua ausência, os hábitos saudáveis que você ensinou.

E lembre-se: educar não é tarefa fácil, mas transformar hábitos alimentares já consolidados é ainda mais difícil. Por isso, dedique-se a essa tarefa com amor, dedicação e firmeza, para que seus filhos se alimentem naturalmente de modo saudável!

Por Renata Miranda

Nutricionista – Drogaria Araujo

CRN 10900