O que é embolia pulmonar? Conheça os sintomas, as causas e os tratamentos

O que é embolia pulmonar? 

Quando um coágulo se forma no sangue (trombose) e ele se desloca até o pulmão, ocorre uma embolia pulmonar. Com a passagem de sangue bloqueada no pulmão, o oxigênio é impedido de chegar nos tecidos da parte afetada.

O que causa embolia pulmonar?

Além de um histórico familiar a ser considerado e de hábitos como o tabagismo, entre as principais causas da embolia pulmonar estão:

  1. Não se movimentar por longos períodos

Em situações em que a circulação sanguínea fica estagnada (como ficar acamado por muito tempo em internações hospitalares ou permanecer na mesma posição em voos de longa duração), o sangue passa a se acumular mais em um local do corpo, geralmente nas pernas. Há o risco de esse sangue acumulado começar a formar coágulos.

  1. Fraturas

Quando um osso se parte podem ocorrer lesões em vários vasos sanguíneos, elevando o risco da formação de coágulos.

  1. Cirurgias

Além de a pessoa diminuir quaisquer atividades físicas após uma cirurgia e, assim, se movimentar pouco, a própria intervenção cirúrgica pode aumentar o risco de formação de coágulos no sangue.

Sintomas de embolia pulmonar:

Os sintomas mais comuns de embolia pulmonar são: falta de ar, dor no peito (principalmente ao respirar e que vai aumentando de intensidade gradualmente), tosse seca ou com sangue, tontura e até desmaio. 

Embolia pulmonar é grave?

“A embolia pulmonar é muitíssimo grave porque pode matar, devido à falta de oxigenação dos tecidos. Além disso, ela pode deixar sequelas severas como problemas de pulmão e de coração”, explica a médica angiologista e cirurgiã vascular Renata Vergara – CRM/MG 43331 (@dra_vergara_vascular). Uma vez que a embolia possui tamanha gravidade, é essencial buscar ajuda em um hospital sempre que houver uma suspeita. Um profissional qualificado deverá realizar um diagnóstico adequado.

Embolia pulmonar tem cura? 

Embolia pulmonar pode ter cura especialmente quando tratada em ambiente hospitalar e a depender do grau da doença. Alguns casos são tratados com a administração de medicamentos (anticoagulantes) diretamente na veia para dissolver ou diminuir o coágulo que está impedindo a passagem de sangue, além de terapia com oxigênio e, nos casos mais graves, cirurgia.